Capa » Dicas Profissionais » Os 7 hábitos com os quais funcionários do Google, Twitter e LinkedIn estão acabando

Os 7 hábitos com os quais funcionários do Google, Twitter e LinkedIn estão acabando

Levar celular a reuniões, dormir pouco, mandar e-mails para resolver qualquer coisa… Veja a lista.

Depois do carnaval, grande parte das resoluções de Ano Novo estão começando a ser esquecidas. O trabalho começa, de fato, a acelerar. Aquelas aulas de yoga que você fez em janeiro foram boas, mas agora você começou a faltar? É normal acontecer isso. Mesmo as pessoas mais produtivas têm problemas para seguir as resoluções. Afinal, fazer mudanças drásticas de hábito é difícil.

Para inspirar a mudança, a Fast Company perguntou a funcionários de empresas de tecnologia quais são os hábitos ruins que eles estão tentando deixar de lado. Talvez seja mais fácil acabar com eles do que encaixar uma atividade completamente diferente na sua rotina, não é mesmo?

1. Levar o celular a reuniões

“Estou acostumada a checar meu telefone constantemente durante o dia”, diz Sara Haider, gerente da divisão de engenharia do Periscope. “Estou tentando colocar o celular em modo de não perturbe durante reuniões para me manter focada no que está sendo discutido”.

Isso é um desafio quando se trabalha em uma empresa de tecnologia. “Quando você trabalha em plataformas como Twitter e Periscope, você recebe muitas notificações, porque algo está sempre acontecendo no mundo”, afirma Sara.

Erica Lockheimer, diretora de engenharia de crescimento do LinkedIn, também está comprometida com a mesma meta. “Não quero mais ficar distraída com meu laptop ou com o celular durante reuniões”, diz. “Vou estar presente e engajada e aproveitar cada momento de trabalho com equipes talentosas para resolver problemas e criar novas estratégias. O resto pode esperar”.

2. Almoçar sozinho

É fácil acabar com um almoço triste e solitário na mesa do trabalho quando o dia está cheio de tarefas. Mas ir até outra sala e comer sozinho em pouco tempo também não é muito melhor, diz Ish Verduzco, coordenador de eventos e mídias sociais do LinkedIn. “Comer sozinho não é uma dar uma pausa, é se isolar”, afirma. É uma prática que ele quer abandonar.

Além disso, Verduzco se colocou outra meta. “Em 2017, vou almoçar com duas pessoas novas a cada semana. Isso não vai só aumentar meus relacionamentos, mas também vai expandir meu conhecimento dentro da empresa”.

3. Enviar e-mail em vez de conversar presencialmente

“Vou acabar com a necessidade de enviar e-mails para tudo”, afirma o estrategista de produto do Google, Luke Leonhard. “Quando as pessoas fazem um bom trabalho, vou me esforçar para ir até eles pessoalmente, em vez de mandar mais um e-mail em uma conversa”, diz ele. E-mails são convenientes, mas às vezes podem ser convenientes demais, o que acaba incentivando a comunicação ineficaz e fraca.

Por isso, Leonhard decidiu tornar as conversas presenciais o padrão. “Quando eu tenho um feedback sobre um produto, agora agendo uma reunião de 10 a 15 minutos, pessoalmente ou por hangouts, para dar um feedback mais efetivo. Se não vale a pena fazer uma reunião, eu me pergunto se vale a pena escrever um e-mail”.

O resultado? Leonhard passa menos tempo digitando no teclado e mais tempo interagindo com as pessoas — “o que torna o dia de trabalho um pouco mais divertido”, diz.

4. Continuar recebendo newsletters inúteis

Leonhard não é a única pessoa que quer gastar menos tempo limpando a caixa de entrada de seu e-mail. Fadia Kader, gerente de parcerias musicais do Twitter, diz que “esse ano, estou focada em cancelar inscrições em newsletters que não leio regularmente”.

5. Confiar em papel, post-its e na memória de curto prazo

Mesmo funcionários de empresas de tecnologia mantém hábitos analógicos, apesar de ferramentas digitais tornarem as tarefas mais eficientes. Mudar isso é a meta de Wade Morgan, representante de vendas do LinkedIn. “Vou começar a usar o calendário do meu celular para planejar minhas tarefas da semana”, diz.

Alex Josephson, diretor de estratégia de marca do Twitter, também quer diminuir sua confiança em métodos organizacionais analógicos que não funcionam. “Decidi abolir o uso de cadernos e canetas. Usar aplicativos é a melhor forma de fazer anotações em reuniões, escrever ideias e fazer listas de coisas a fazer”.

6. Dormir muito pouco

“Parei de fingir que dormir não é importante”, brinca David Roter, diretor de desenvolvimento do Twitter. Mas parar de ficar noites sem dormir não significa mudar totalmente sua agenda. Roter está fazendo pequenos ajustes para ajudá-lo a dormir mais. “Não estou desistindo do Netflix. Eu tenho deixado meu celular na cozinha e medito pelo menos uma vez por dia. E agora me sinto mais focado no trabalho”.

7. Perfeccionismo

Luke Leonhard, do Google, está trabalhando em se livrar de mais um hábito. “Não estou mais perdendo tempo para fazer apresentações internas perfeitas”, diz ele. “Estou usando os templates prontos para as apresentações ficarem bonitas, sem gastar mais 20 minutos ajustando o alinhamento do texto e escolhendo as cores”.

Fonte: Época Negócios

Check Also

Eike chega ao Rio para se entregar à Polícia Federal

Empresário teve a prisão decretada por ter pago propina ao ex-governador Sérgio Cabral. RIO — ...